Buscar
  • Clube Regatas Guanabara

Vela: uma experiência de vida para as crianças

É difícil encontrar uma atividade que reúna tantas lições de vida como velejar, isto é, a arte de navegar à vela.


Velejar ensina, entre outras coisas, o trabalho em equipe, a física aplicada, a historia, a paciência, oceanografia, ecologia e te dá a autoconfiança necessária para escolher os rumos desejados, fruto do aprendizado, tudo em um só pacote.


As lições ensinadas na água são transformadoras. Quando se aprende a navegar, ganha-se um oceano cheio de habilidades; alem de sair da zona de conforto, dá confiança.


Abaixo, as principais razões pelas quais toda criança deveria experimentar e aprender a velejar:


Desconectar: Nos dias atuais é de extrema importância criar um equilíbrio entre o mundo natural e o digital. Para os maiores de trinta, que viveram essa transição, isso não é tão real, já os nativos da era digital precisam se desconectar, velejar, portanto, é perfeito para isso. Quando se coloca os pés no barco, embarca-se em um novo mundo.


Ética de trabalho: Interpelar as crianças para executar suas tarefas é um trabalho contínuo e necessário, mas, às vezes, um pouco chato para todos os envolvidos. A vela é uma ótima maneira de ensinar as lições da relação trabalho-recompensa de forma instantânea. Ilustra na pratica, questões como organização, observação e limpeza. Há muito esforço físico a ser feito quando se veleja, mas é um esforço gratificante que mostra de imediato os resultados, o que funciona com a pouca atenção que as crianças normalmente dedicam. E tudo acontece num ambiente de belo visual.


Liderança e trabalho em equipe: Eventualmente, a criança estará em um barco maior, com outras pessoas e vai ter varias funções a desempenhar. O comandante orienta, a tripulação entende e executa suas tarefas de marear velas, informar, manobrar o barco etc. Aprender como se comunicar de modo efetivo como líder, quando comandante e como ser um eficiente membro da tripulação são lições residuais que se aprendem naturalmente.


Autossuficiência: Por mais que o trabalho em equipe seja um componente essencial nas aulas de vela, as crianças iniciam o aprendizado sozinhas. Como acontece com qualquer nova habilidade aprendida, acertar pode levar algum tempo. Haverá na curva de aprendizado onde novas habilidades vão se superpondo e a medida que aumentam, elas passam a comandar com mais confiança seu próprio barco. Isso é básico e de enorme valia, pois é através das tentativas e erros, sempre apoiados e incentivados pelos seus técnicos que aprendem sempre algo de novo, construindo uma base crescente de autoconfiança.


Mecânica/física: É o ramo da ciência que aplicada, lida com movimento e as forças que produzem esse movimento. Vela é física aplicada. Ao velejar, as ações criam reações instantaneamente; mover o leme altera o rumo, marear as velas afeta o rendimento, escorar o barco, fazer contrapeso, melhora estabilidade e o desempenho. Na medida em que barcos maiores entram em cena, novos recursos vão surgindo para facilitar a navegação e assim as lições praticas de como as coisas funcionam são descobertas. Aprender a velejar é uma aula disfarçada de matemática e ciências, divertida e excitante. A observação do comportamento do tempo, da água, do vento e o impacto desses elementos no próprio desempenho são primordiais para velejar. À medida que essas habilidades aumentam, o cálculo sobre o que fazer e como se comportar entra na equação. A vela oferece uma aprendizagem pratica com propósitos claros, visíveis e imediatos.


União: Com o advento dos celulares dominando o mundo dos jovens, as possibilidades das ligações físicas de amizade são cada dia mais escassas. O fato é que hoje é cada um na sua, ligado na tela. Cada momento em que as crianças estão ”ligadas” é um momento onde não estão conectados com o espaço que nos rodeia. É ai onde a vela pode atuar. Não tem lugar melhor onde conversar, rir e compartilhar os silêncios, como acontece tão facilmente numa boa velejada. Uma tripulação trabalhando junto para fazer o barco ter melhor desempenho sobre as ondas é uma relação gratificante. Tem-se o tempo. Tempo para ensinar, tempo para brincar, tempo para se conhecer.


Lidar com adversidades: Às vezes não tem vento, às vezes venta demais. Chuvas acontecem, as equipamentos às vezes quebram, a paciência passa ser uma necessidade. Nem sempre o que foi planejado dará certo. Isso é velejar, assim é a vida. Aprender a enfrentar o inesperado e saber se adaptar e progredir, independente das circunstancias é uma das lições mais importantes que a vela proporciona.


Segurança: É por onde tudo se inicia, a prioridade. As crianças estarão sempre com um colete salva-vidas, uma vez que é obrigatório. Ela vai aprender a ter consciência dos riscos, o que fazer se o barco virar ou se cair na água.


Sistemas: O mundo hoje é um complexo de sistemas; velejar é um deles, só que concebido de forma primorosa. São séculos de tentativa e erro que nos levaram ao que hoje temos de tecnologia embarcada nos modernos veleiros, com suas inovações criando viagens incríveis utilizando a força do vento. Mostrar as crianças como funciona esse complexo sistema pode aumentar a curiosidade por outros sistemas e assim se tornar pensadores mais críticos.


Aventura: Incutir o senso de aventura em um jovem é uma semente importante de ser plantada. Os veleiros são seguros mas também são um ingresso para o desconhecido e o selvagem, quando se relaciona com as forças da natureza. Toda criança que veleja um dia olhou e pensou ”se eu continuar, onde iria chegar?”. Velejar nos afasta do que é usual, comum, e nos coloca num ambiente desconhecido e estranho. Fora do barco somos massacrados pela sociedade. Velejar é uma válvula de escape, o lugar onde a criança pode expandir sua imaginação, e isso é algo poderoso.


Possibilidades: É imenso o poder das possibilidades, dos sonhos: Onde velejar? Que parte do mundo poderia ir? Velejar até quando? Viver num barco? Ser um atleta olímpico? Como usar o que se aprende na vela e aplicar na vida real?


A vela oferece um mundo de potencialidades e possibilidades que podemos utilizar em todas as áreas, seja na realidade vivida ou no imaginário dos poetas e artistas. Aprender a velejar é uma sala de aula dedicada a promover a autoestima, o ego e a confiança em si mesmo. O tipo de confiança que se adquire com as conquistas individuais e triunfos coletivos, que vai acompanhar a criança por toda a vida.


Permite que elas se envolvam com a natureza, cria novas amizades e uma experiência única ao oferecer um equilíbrio saudável entre o mundo conectado e o real.


TEXTO E FOTO: Vela Guanabara

0 visualização

Considerado uma mistura de futebol, handebol e rugby, o polo aquático é uma das modalidades mais ...

Polo Aquático

Um esporte cheio de graça, onde a força, a resistência e principalmente a delicadeza nos gestos formam ...

Nado Sincronizado 

Sua prática constante ajuda a fortalecer os membros do corpo, aumenta a resistência física ...

Remo